31 julho 2008

voltar a esperar

haworthia cooperii
haworthia cooperii

Hercúlea é a tarefa, embora pouco a pouco conte com mais algumas ajudas.
Estou a esforçar-me para que aconteça um novo milagre, para fazer esquecer aquele que se desperdiçou.
Anseio Paz.

29 julho 2008

só mais um bocadinho...

echeveria flowers

O cansaço não me deixa dormir. Há quase duas semanas que odeio as noites e os fins de semana, porque é durante os dias úteis que se pode reparar este kafkiano equívoco. Espero vestir de outras cores as palavras de amanhã e de esperança as da próxima semana. Digo a mim mesmo "Aguenta só mais um bocadinho... só mais um bocadinho!"

Escrita

Vou engolindo o tempo, que se torna cada vez mais áspero. Quero acreditar que algo se passa e percorre o caminho certo, enquanto tento viver com esta insuportável dor de cabeça, com os dentes cerrados, que mais parecem portas de masmorra, adiando ad eternum pestilentos urros.

Acredito que aguentarei até ao fim, não sei se lhe sobreviverei.

astrophytum miryostigma flower

(Desculpem-me este egoísmo aqui plasmado, mas seria injusto partilhar física e pessoalmente esta minha dor convosco. Poupo-me, poupando-vos. Fica assim, como se fosse um exercício de escrita)

28 julho 2008

Dou por mim...

... à espera de um Milagre. Eu, que sou o maior crente de todos os ateus, o mais místico de todos os cartesianos, dou por mim, a rebentar por todos os poros, que estão prenhes de água salgada, à espera... à espera de poder jorrar.

Quando respiro fundo, faço-o a tracejado, quando me atrevo a sonhar, sonho a crédito.

Tenho a Fé dos náufragos.

orange dahlias

26 julho 2008

As minhas desculpas... / My apologies...

cleistocactus samampantius flowers
cleistocactus samampantius

... por esta ausência, mas não havia imagem ou texto que ilustrasse cada hora dos dias desta semana. Um dia, pode ser que isto não passe de uma lembrança. Já me daria por muito feliz.

17 julho 2008

Diferente

crassula perforata top
crassula perforata

Antevejo renovadas e tamanhas tarefas de reconstrução e reaprendizagem.
Correrá um rio, eu sei, até que secará, tornando-se num largo caminho-cicatriz. Quando chegarem novas provações, socorrer-me-ei da memória daquilo por que passei, para que assim me pareçam mais leves e o meu choro não passe de um brilhozinho nos olhos.
Aos quarenta e quatro anos, incontáveis são os baús e pesadas são as lembranças, mas estranho era se assim não fosse. Não posso nem quero ser um homem novo, mas sem dúvida que sou um homem diferente.

Ah... Vou rumar ao Sul, neste Fim de Semana!

O Sexo e a Cidade

Por enquanto é só o filme, que ainda não tive a oportunidade de ver.
Espero que seja hoje!!

bearmen shoes

15 julho 2008

Life... as a hologram

fast landscape

Tenho anestesiada a parte direita dos lábios e também dessa parte o maxilar inferior. Fui ao dentista, cumprindo a minha revisão anual, e acabei por ter de tratar de uma pequena cárie (apenas visível ao RX), antes de que ela visse a luz do dia!

Ultimamente tenho a sensação de estar com um problema de "embraiagem" no discurso. Não que gagueje ou fale aos solavancos, mas a forma de encadeamento dos assuntos, relativamente à sua importância ou pertinência, é por vezes de tal maneira confrangedora, que chego ter pena dos meus interlocutores. Resta-me a esperança de que tudo isto seja apenas uma visão "um pouco" exagerada, porque efectivamente me sinto desfasado, e que não seja tão nefasta assim a minha acção.

Não sei quando nem onde poderei descansar, mas vou a caminho.

14 julho 2008

Fora do Jardim

ez look

Por incrível que pareça, nem mesmo o que me revolta, que me entristece profundamente, o que me magoa uma vez mais e sempre e sempre e sempre, me consegue surpreender. Numa primeira e, talvez, segunda análise, poder-se-ia pensar que pura e simplesmente se trata de masoquismo. Numa análise mais profunda... talvez se trate de uma outra patologia, relacionada com um qualquer patético e estóico sentido de dever samaritano, muito bem alimentado por quem dele uso foi fazendo.
Ia quase, quase a escrever de que "Precisava de uma grande carga de porrada!", mas carga de porrada já eu tenho levado ao longo de todos estes anos!! O que eu preciso mesmo é de DAR uma carga de porrada a quem tem usado e (ab)usado da minha boa vontade!

11 julho 2008

Não sabendo o que pensar...

... o melhor é não pensar nada!

Que fazer quando, com todo o costumeiro cuidado, se encontra um "estacionamento", se abranda, se faz pisca, se espera que alguém ceda a passagem e avança para o lugar e, sem se saber como, um motard aparece disparado e embate no nosso carro???

crash place1

damage_f

E se depois disso, ainda afirmam que a culpa é nossa, porque não fizemos "pisca" (mesmo que praticamente estejamos já na faixa da esquerda) e têm a preciosa ajuda de alguém que passa de carro e que por "mero acaso" também é motard e que afirma "eu também vi que não fez pisca! Ponha aí o meu nome como testemunha!"?!?!?!

Se tudo isto é "kármico", mais valia que se resolvesse tudo de uma vez.

Votos de continuação de Bom Fim-de-Semana!

Personal DNA

À semelhança do Arion... resolvi fazer o meu Personal DNA.



ainda nem li o que "deu"...

Timidamente

no idea

e não sei por quanto tempo,... regressa a quase-calma!
Tenham um óptimo Fim-de-Semana!

10 julho 2008

Verão

aloe mitriformis flower with wasp

Para mim esta imagem "só" poderia ter este título,
mas isso deve ser porque eu sou um rapaz do campo!

Munições

I will rock

Muito Bom Dia!!!

Já retirei da horta os alhos e as cebolas, cavei o terreno, porque estava um pouco duro. Agora, todos os gatos da vizinhança pensam que lhes preparei uma enorme "caixa higiénica"! É pena que no "jardim" só tenha pedras decorativas...

09 julho 2008

Agora... respire fundo e acalme-se!

crassuvivum
Sempervium tectorum e Crassula pubescens ssp. radicans

Das duas... uma!

ferocactus latispinus new spines
ferocactus latispinus

Todos sabemos que a natureza humana é pródiga em conseguir encontrar justificações para tudo o que faz, em conseguir sobreviver em condições realmente adversas e, mesmo em idade adulta, fantasiar como se a vida fosse um conto de fadas.
Em 1988, num dos papéis que pintei (Fevereiro ou Março - Série dos Palcos), escrevi: "Acreditar é um Acto de Coragem". Essa frase sempre me acompanhou, mesmo quando dela não tinha consciência. Nas inúmeras ocasiões em que caminhei junto aos precipícios, em que julguei que era mais do que sou, em que acreditar era uma obrigação, como se fosse um estigma, invisivelmente tatuado.
Agora sou mais rebelde e já descobri onde está a tatuagem, não acredito naquilo em que tem de se acreditar por obrigação e dou mais crédito à fantasia, dando-lhe corpo, chamando-lhe Vontade.
Vou caindo aos bocados, mas a raiva e o desespero junta tudo de novo e vou-me assim renovando, redescobrindo, transformando em... não sei quê!

De uma coisa não que queixo: Monotonia!

08 julho 2008

A Echeveria não tem culpa de nada

echeveria secunda
echeveria secunda

Faço um esforço para que o meu mundo não se contraia e não me asfixie, reduzindo-me ainda mais as raras saídas que ao longe vislumbro (eu sei, estou a exagerar na dramatização...). A verdade é que estou cada vez mais limitado, nos gestos, nos passos, no vocabulário e naquilo que sinto.
Eu sei que isto é um buraco, eu sei que consigo daqui sair, eu sei que não quero nem consigo sair enquanto alguém precisar de mim, eu sei que mesmo que me torne em nada, sobrevivo.

O coração é a cabeça e a cabeça é um lugar sem lugar. Aí, tenho escrito a palavra Inferno. Durante vários anos, não me faltou a formação: Seminários, workshops, conferências individuais, sempre na mesma área, mas a palavra foi-se adensando, cumprindo-se nela mesma, rindo-se de mim e do esforço que eu fazia para a afastar. Nisso, sinto-me injustiçado.
Não agradeço ao Universo esta maravilhosa possibilidade que me dá, de conhecer a natureza humana e de ter experiências que farão da minha alma uma entidade mais completa e sábia! Nem agradeço a "benesse" de ter emagrecido 10kg num mês e meio, não por estas razões!

Sei pouco, sei muito pouco!

(diz a sabedoria popular (ou sou eu que invento e depois digo que são os outros...) que: Se sabes que terás de pedir desculpa por alguma coisa que irás fazer... então não o faças! Mas.. desculpem-me, porque até eu estou farto de mim!!!!)

06 julho 2008

Eternidade


orange
Originally uploaded by paul glazier.

Cabe a eternidade num só dia e isso também pode ser horrível.

Na realidade (isto "na realidade" também tem muito que se lhe diga...), o que nos dá a sensação de eternidade das coisas, não é o seu factor temporal mas a sua intensidade. Trinta segundos de um terremoto é uma eternidade, um ano de amor é uma eternidade, seis meses de quimioterapia é uma eternidade, um beijo apaixonado pode parecer uma eternidade... e por aí adiante.

Devido à razão que irei enunciar, já não me lembro desde há quanto tempo perdi a noção do tempo, dos dias, dos meses, das semanas. Sei apenas que, algures, neste meu errático recente trajecto de curral, me perdi de mim mesmo... (corrijo: não me perdi, sinto-me apenas esquartejado. Sei quem sou e ainda não perdi o instinto de sobrevivência.) ...perdi sim a noção dos dias, das relações e do convívio.
Cada dia me parece eterno, cada dia me custa tremendamente a passar, estou permanentemente alerta e nem as pequenas e raras "quase-folgas" me iludem. Mais do que Ser, eu não queria Estar assim, acreditem, queria poder lutar com monstros menos traiçoeiros, que se mostrassem antes de atacar.

"Mais valia que ele se limitasse a colocar imagens de plantas e não nos sobrecarregasse com tanta chatice", pensarão alguns de vós (com alguma razão). Mas leiam isto como apenas um exercício(pateta) de escrita(pateta), eu(pateta) não fico melindrado.

05 julho 2008

Quase-folga

Graptoveria titubans
Graptoveria titubans

Passei a maior parte do dia em casa. Uma visita ao domicílio e uma sessão cinematográfica ao fim da tarde, foram as únicas saídas. Uma espécie de folga forçada e inesperada. Cada dia é uma conquista.

04 julho 2008

Bom Fim de Semana!

cotyledon undulata flowers
cotyledon undulata

A semana passou num instante e não sinto o característico entusiasmo pré-fim-de-semana. Ainda pensei em não colocar palavras junto a esta imagem, mas isso já se está a tornar demasiado frequente e tampouco me agrada. Também não é justo forçar @s amig@s a ler lamechices e lamentações. Que fazer?
Escrever, sem dizer nada, que é o que eu quase estou a fazer.
Olhando para mim, pareço uma lâmpada de baixo consumo, mas na verdade sou apenas uma lâmpada incandescente... desgastada. Resta-me a sanidade mental, que me permite olhar para esta divina comédia e rir-me das minhas próprias palhaçadas. O humor é um poderoso antídoto contra a desgraça e a miséria.

Desculpem-me a franqueza, mas...
Se eu algum dia enlouquecer permanentemente, matem-me!

03 julho 2008

hoje

matucana madisonorium flowers
matucana madisoniorium

Luminosidade

aeonium atropurpureum
Aeonium atropurpureum

Hippeastrum

amarylis seedling
Sementeira de Hippeastrum

Segundo li, as sementes de amarylis (Hippeastrum) devem germinar em água e, só depois de três semanas e de nascidas algumas raízes, ser cuidadosamente plantadas em ambiente húmido. No entanto, vi que foi desta forma que um conhecido meu as plantou e... achei graça! :)

02 julho 2008

Recuperar

recovering sedum indicum

Este sedum indicum recupera agora e parece estar no bom caminho, depois de uns meses debaixo de um "desconhecido-insecto-ataque" e de várias tentativas de tratamento (ainda agora não sei se fui eu ou foi a natureza quem ajudou a solucionar o problema).

Em Setembro de 2007 estava assim:
sedum indicum

Apesar de já ter tido algumas baixas... Estes "bicharocos" compensam-me sobremaneira!

01 julho 2008

Demasiado

caudex with too much water

Lá diz a Voz do Povo que "tudo o que é demais... é moléstia!". Ter demais, pedir demais, receber demais, exigir demais, sofrer demais, gostar demais, dar demais... é mau.
Mas quem terá ou saberá a medida certa das coisas? Como pode um equilibrar o que o outro desequilibra? Onde estão os limites que futuramente nos servirão de auto-protecção?

Felizmente, melhoram-se os ânimos e inevitavelmente, acentuam-se os declives.
Interessa-me um final, um único, um bom, um definitivo. Só então poderei dar um rumo, nesta navegação à vista.

Apenas um pouco de água a mais e o caudex da imagem... começou a rachar. Espero que sobreviva.

Obrigado pela vossa presença!

Look into my eyes! The eyes! The eyes! Not around the eyes! ..

zingo
Zingo

Eu não sou um cacto! Ão-ão?, woof? Woof-woof?