04 outubro 2010

reflexão

desenho XXIX (close) - 2010
Desenho XXIX, 2010 - Grafite sobre papel - 70x100cm



Desde há algumas semanas para cá que tenho vindo a ganhar uma nova noção de tempo. É estranho, os dias vão passando da mesma forma e as semanas sucedem-se de igual maneira, mas momentos há em que se abre uma espécie de brecha e o tempo parece passar tão lentamente, que julgo possível vislumbrar a ideia de eternidade.
De facto, a espiritualidade (lato sensu) é um lugar magnífico, uma descoberta permanente, um imenso manancial, à qual pouca atenção dedicamos, por julgarmos que, garantindo (quanto mais, melhor d') o nosso bem estar físico, nada mais nos faltará.
Na maioria das vezes, quando nos apercebemos dessa lacuna, mesmo que recuperemos algum tempo, já é praticamente impossível recuperar a vivência. Tudo tem um momento e uma medida apropriados e é nessa ponderação, que devendo tender para o equilíbrio, num jogo de forças e energia, de Ying e Yang, ou seja lá o que for que nos ajude à elevação, como seres humanos, plenos de espírito, que devemos procurar encontrar os momentos de reflexão.

Não custa nada... experimentar.

Lisboa, 3 de Outubro de 2010